Propriedades rurais de Rodrigues Alves recebem enxertia de citros

Aproveitando a melhor época para realizar o procedimento que é novembro e dezembro, a Prefeitura de Rodrigues Alves por intermédio da Secretaria Municipal de Agricultura, esteve na propriedade da Senhora Cordélia realizando a prática de enxertia de Citros, como uma base de assistência técnica e extensão rural, para fortalecimento da agricultura familiar na propriedade.


A propagação dos citros é normalmente feita através de enxertia, pois as plantas obtidas a partir de sementes resultam em árvores que exigem de 6 a 8 anos para produzir os primeiros frutos e alguns anos mais para a produção das primeiras safras comerciais. O uso desta prática apresenta uma série de vantagens, dado que o porta-enxerto influencia o vigor, a frutificação, a resistência ao frio e à seca, a composição mineral das folhas, a tolerância da planta a pragas e doenças, como também a qualidade da fruta.


Presente na propriedade para acompanhar o trabalho o Secretário de Agricultura, Ivonilson Lima, e os técnicos agrícolas de Campo, João Menezes e Francisco.


Segundo o Secretário, o objetivo do município, é beneficiar a produção familiar e a agricultura local, e por Rodrigues Alves, no rodar dos exportadores, com produtos de qualidade, proporcionando maior geração de riqueza a cidade e os produtores, bem como, geração de emprego e renda.


PRÁTICA PARA ACELERAR O DESENVOLVIMENTO DE PORTA-ENXERTOS DE CITROS*


O Brasil é o maior produtor mundial de citros e o maior exportador de suco concentrado congelado de laranja - principal produto do complexo agroindustrial da citricultura brasileira. A citricultura tem grande importância econômica e social para diversos Estados, como São Paulo, Sergipe, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia, onde se situa entre as dez principais culturas.


A muda cítrica de alta qualidade é o insumo mais importante na implantação de um pomar comercial. O caráter perene desta transforma a escolha da muda na chave do sucesso ou fracasso no plantio. A enxertia, pelas muitas vantagens que apresenta, é o método mais utilizado para propagação dos citros. No Rio Grande do Sul há predomínio do porta enxerto Poncirus trifoliata com aproximadamente 90% do total. São ainda utilizados o limoeiro cravo, laranjeiras doces e, mais recentemente, o Citrumeleiro Swingle e citrangeiros.


O momento da enxertia em citros é determinado pelo diâmetro do caule dos portaenxertos. Quanto antes atingem o diâmetro de 0,8 a 1,0 cm da haste a 15 cm de altura do solo, mais cedo pode ser realizada a enxertia por borbulhia. Em determinadas condições, o desponte dos porta-enxertos, que consiste da poda da parte aérea a 30 cm de altura, é considerado um método que permite incrementar o diâmetro da haste, comparativamente a plantas não despontadas, acelerando o processo de produção da muda. Porém este método não tem comprovação científica. Diante disso, este trabalho busca analisar a resposta de porta-enxertos de citros ao desponte realizado no terço superior da haste, avaliando a velocidade de incremento do diâmetro destas comparativamente a plantas não despontadas, visando reduzir o tempo transcorrido desde a semeadura até a enxertia.


*Giuliani, Julio Cesar et al. DESPONTE COMO PRÁTICA PARA ACELERAR O DESENVOLVIMENTO DE PORTA-ENXERTOS DE CITROS. UFRGS. Disponível em https://www.ufrgs.br/agronomia/materiais/natal12despra.pdf. Acesso em 02/12/2020.